Dia 14



Trilha Sonora DRE - Faixa 13 - Céline Dion - If I Could


Oi, pessoal!

Esse livro foi a minha elaboração de luto pela morte do meu pai em 6 de fevereiro de 2017. Tive uma infância difícil e ele foi um péssimo pai, quando me contaram que ele estava com câncer terminal e eu teria que me despedir, corri para a sua cidade e com uma força que não sei de onde veio, não chorei quando segurei a sua mão e garanti que nada do que ele estava passando era carma, pois descobri ali, que ele era apenas humano. Pode não ter sido o melhor pai ao meu ver, mas soube que ele fez o melhor que pode, nas condições que teve. Disse que ele era muito amado e que não havia mais mágoas que afetassem o que sentíamos. Ele partiu uma semana depois, em paz, de parada respiratória após ser internado com fraqueza na uti, não foi pelo câncer que já havia consumido mais da metade do seu corpo, ele apenas parou de respirar como se seu tempo realmente tivesse acabado. Não é a minha melhor lembrança, mas é a última que tenho dele, já que por morar em outra cidade, não consegui voltar para o velório, meu corpo travou no instante em que eu soube da sua morte e não consegui andar por algumas horas, mas no momento em que o enterro dele terminou, senti seu abraço de onde eu estava e tive certeza que ele entendeu eu não ter ido, nos despedimos ali, onde sempre estivemos para o outro, não precisávamos nos ver todos os dias para nos amarmos. DRE é um monumento para ele, sobre um pai que nunca tive e momentos que nunca tivemos, mas mesmo assim, sou grata por ser a maior prova real de que ele existiu, uma pequena parte dele que ainda vive e vai continuar vivendo por ele, que gostaria muito de ainda estar aqui, mas não pode mais.

Não consigo dizer mais nada hoje, gente! Lembrar de tudo isso mais uma vez me destruiu.

AMANHÃ, DIA 27 DE NOVEMBRO LERMOS OS CAPÍTULOS 26 e 27.

Até lá.

Bjus

84 comentários:

  1. Aí esse suspense da doença do Pai de Mit me mata ele tinha que propor essa condição dela não perguntar sobre o tratamento ! Aurora furacão de volta, mais que situação uma carona pra amiga e difícil de entender eu compreendo ela AMOR e assim tem sempre a pitada de ciúmes !
    Simplismente sem estrutura , pai de Mit partiu, Aurora praticamente já sabia a situação e não falo nada , mais eu entendo ela poupar mit e um momento que ninguém que passar na vida ainda mais dessa forma , momento #AS LAGRIMAS VIERAM não consegui me conter ! TRISTE DE MAIS :'( já perdi duas pessoas com câncer e não é fácil! Eu tenho fé Deus que o CÂNCER um dia seja apenas um signo !

    ResponderExcluir
  2. Nossas esses capítulos foram bem tristes e saber agora vc passou por algo desse jeito com seu pai, eu na verdade não sei bem o q dizer!! Acho q momentos assim as palavras nem sempre são fáceis!! Mas vc fez uma linda homenagem pra ele, acredito q esteja muito feliz de ser lembrado dessa forma!!
    Nem sempre na vida as pessoas são como esperamos que seria neh?!? Mas o melhor é termos nossa mente em paz e termos feito o q achávamos certo!!

    Mas voltando a Mit eu entendi tanto ela ao ficar com raiva por sua melhor amiga conhecer o médico e ele flr q sintia muito pra Rora e não pra Mit, acho q teria a mesma reação q ela, e aliás acho q ficaria mais brava do q ela ficou!!

    Adrieli Fernanda Ribeiro - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz é a melhor coisa, né?

      Tenho vontade de socar a Rora. 😒

      Excluir
  3. Respostas
    1. Hoje não consigo escrever muito sobre o capítulo, as lágrimas caíram, devo admitir. Espero que a Mit supere a dor da perda e sempre se recorde das coisas boas que viveu com o pai.

      Luma Minikel de Oliveira - ok.

      Excluir
    2. Pois é, Lu! Dizem que com o tempo ameniza.💔

      Excluir
  4. Os que amamos nunca se vão de verdade, permanecem vivos em nós. Não consigo lembrar de onde vem essa frase, mas é uma grande verdade.

    Lanna Kelly Andrade - Ok.

    ResponderExcluir
  5. Não tenho o que falar. 😐
    Mas sinta meu abraço bem apertado.
    Rivany Pereira Tenório - Ok

    ResponderExcluir
  6. Saiba que você fez o seu melhor, assim como ele, e encontre conforto nos mais próximos ❤️
    Isabela Alvarenga Mello-ok

    ResponderExcluir
  7. Oq foi esses capítulos, quase não consigo terminar. Lágrimas embaçavam a visão. Que leitura doloroso. Mas ele descansou. Seu pai e o pai da Mit.😢

    ResponderExcluir
  8. Estou arrasada,nem sei o que dizer...😢
    Também sigo irritada com a Aurora.
    Aline do Sacramento-ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tatiane de Araujo Silva ok
      Sem palavra para o que vc disse hj 😢
      mas Mit teve seus momentos com o pai
      Rora cd dia me irrita mais....

      Excluir
  9. Não sei se chorei mais no capítulo 25 ou no post do blog... Ainda bem que sou "forçada" a continuar a leitura só amanhã. Preciso de um tempo pra me acalmar... Tô arrasada!

    "- Os passarinhos de papel...
    - Os Tsurus?
    - Os poucos que fiz foi por você."

    ❤❤❤❤❤

    Sabe o que eu mais amo nessa história? O fato da Mit ter perdoado o pai e ter se permitido recomeçar.

    Força pra Mit
    Força pra vc
    Força para todos nós que estamos desolados nesse momento...

    "DRE é um monumento para ele, sobre um pai que nunca tive e momentos que nunca tivemos"

    ❤❤❤❤❤❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ops...

      Anna Karoline Garnier de Albuquerque - okeeey

      Excluir
    2. Coisa linda, Ka!
      Amando ver como está envolvida com tudo! *-*
      Precisamos nos permitir, né?

      Excluir
  10. Caiu um cisco aqui...e esse clipe a lembrança deles assistirem juntos.
    Perdas...fazem parte da nossa jornada. Tento me educar repetindo que é um até logo, pois sei que somos espíritos eternos, e que a vida na Terra é um dia em toda nossa eternidade e logo nos encontraremos no mundo espiritual, enquanto isso, enquanto a saudade aperta, nos encontramos em sonhos e lembranças.
    Mudando de assunto, Rora está muito chata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os sonhos e as lembranças nos salvam, né?
      Rora tem seus momentos! =(

      Excluir
  11. Esses capítulos foram bem tristes, Mit vendo seu pai a cada dia pior pela doença e sem saber oq estava acontecendo foi torturante, ainda mais depois de descobrir que a Rora sabia de tudo, por mais que ela amasse o tio Mou, quem deveria ter passou por tudo com ele era a Mit, ainda mais pelo anos de distância, pela relação deles terem evoluído, senti como se a Rora tivesse roubado esse momento de Mit.
    A morte de tio Mou foi um dos episódios mais triste do livro até agora,mas como dizem Deus sabe oq faz, coisas acontecem para nós deixar melhor, para que possamos fazer sempre o melhor a cada dia.
    Sinto muito pela sua perda Mari, mas seu pai, onde quer que esteja, estará te ajudando e te apoiando sempre.💟

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, May!s2
      Sem dúvidas é a parte que menos gosto do livro, mas foi necessário! =(

      Excluir
  12. Ariana de S. M. dos Santos
    Capítulos 24 e 25: ok

    Oi Má!
    Preciso dizer que chorei?! Sinto muito Mit...agora é difícil, mas espero que vc compreenda a escolha de Maurice e de Rora, não tiveram más intenções...Ai, torcendo muito para a EM não se aproveitar...

    Sinto muito Má! Nesses momentos a gente sempre fica tentando pensar no que deveríamos ter feito, no que deixamos de fazer...e procurando encontrar culpados, nós mesmos na maioria das vezes...Mas se olhamos o tal "meio copo cheio", tudo fica diferente: cada instante de amor, perdão e empatia (ela de novo) é muito maior do que as coisas que não fizemos...No seu coração ele sempre estará vivo, pq é seu amor por ele que o faz ser assim. Meu forte abraço...se um dia nos conhecermos pessoalmente, ficarei uns 15 minutos te abraçando! rs

    Grande bj! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ari, sua linda!!! *-*
      Muito obrigada por todo esse carinho!
      Quero abraço!hehe

      Excluir
  13. As lágrimas vieram mais uma vez,e eu percebi que no lugar da Mit eu não teria aguentado, ela tem uma força enorme e eu espero muito que as coisas melhore pra ela.
    Esther Souza Maia ok

    ResponderExcluir
  14. Marina, que depoimento lindo, foi muito emocionante estes momentos do livro, apesar de que não aguentaria de forma nenhuma não perguntar ou participar deste momento, conforme o pai pediu, mas agora ler suas palavras fora demais, snifff...

    Danielle Gomes Silva - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito difícil aceitar as decisões do outro, né? =(

      Excluir
  15. Tamires A. Alvino Meleti Silva - Ok

    Poxa Ma, eu sinto mesmo por tudo que passou, infelizmente eu sei bem essa situação, não com o câncer mais de outra forma cruel. Temos que ter uma força absurda pra seguir em frente, e ver ou lembrar de algo bom como a Mit faz. Esses capítulos de hoje foram muitos tristes, eu li no trabalho e estou tentando ao máximo não chorar.

    Fica bem Ma, um grande baraço <3

    OBS: Não gostei da atitude de Rora, ela podia ter deixado Mit por dentro da situação :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito pela sua situação também, Tami! A vida tem dessas, né? =(

      Difícil compreender o que levou a Rora a decidir isso, mas ela não queria fazer mal pra Mit. Às vezes tomamos decisões pensando no melhor e não dá certo.

      Excluir
  16. Daniane Almeida -OK-
    Deus conforte seu coração e que seu pai esteja em paz e junto de Deus, em um lugar onde não existe dor. Obrigada mais uma vez por compartilhar sua história.

    ResponderExcluir
  17. Sinta-se abraçada, Marina!

    Ana Carolina de Moura - Ok

    ResponderExcluir
  18. Meus olhos suaram rs

    Leticia dos Santos -ok

    ResponderExcluir
  19. Camila Yukari Kobayashi - Ok
    Esse capítulo deve ser o mais triste, não tive como conter as lágrimas. Vc transformou em obra mais linda, sinto tudo o que quis transmitir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito contente por isso, Ca! =) Embora seja triste!

      Excluir
  20. Larissa Crusinski Santos - Ok

    Acabei de ler os capítulos e tô aqui escrevendo enquanto choro muito, já é a segunda vez que leio DRE e é a segunda vez que choro nesses capítulos, e tô chorando ainda mais depois de ler o que a Má escreveu ali em cima.

    Esses capítulos foram uns dos mais tocantes de todo o livro, a sensibilidade do momento, é até difícil ter palavras a dizer neste momento.
    O câncer é uma das doenças mais tristes que existem, torço tanto para que um dia achem a cura definitiva, ou que ninguém mais precise passar por isso.

    Queria te dar um abraço Má, mas como não posso, sinta se abraçada por todas nós que lemos. Sua história com seu pai foi bonita, apesar de tudo, e tenho certeza que ele se foi com a certeza do seu amor por ele e do amor dele por você. As vezes o amor não está nas palavras ditas, mas sim nós gestos feitos e no olhar das pessoas, alguns só tem mais dificuldade de expressar e demonstrar o que sente, mas tenho certeza que o amor de um pelo outro era enorme.

    Amo DRE e todos esses sentimentos que essa leitura me faz sentir ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lari!
      Estou muito feliz que esteja gostando, é tão gratificante!
      Muito obrigada por tudo isso que me faz sentir! =)

      Excluir
  21. Déborah Tesser Janotti26 de novembro de 2018 13:47

    Déborah Tesser Janotti - ok
    Em muitos momentos com Maurice, me identifiquei lidando com meu pai e nossa relação conturbada também. Sinto muito pela barra que precisou passar, te entendo 100%. O meu partiu em 22/06/2016, por estar morando em outro país também não pude comparecer no velório, mas felizmente, nos seus últimos meses tivemos a chance de nos reconectar e nos perdoar. Esses foram capítulos bem fortes pra mim, chorei bastante porque me vi ali o tempo todo, sabe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Dé! Sinto muito por tudo isso!
      Sei que não há palavras que nos confortem, mas podemos segurar a mão uma da outra como a Mit e Rora! =)

      Excluir
  22. Larissa Bianchi -ok

    Capítulos tristes, mas acredito que virá coisas muito boas (espero).

    ResponderExcluir
  23. Camila dos Santos Santana - ok

    Coitada de Mit....��
    Mas digo irritada com Aurora.

    ResponderExcluir
  24. Ai meu deus eu não consigo dizer nada, só chorar...

    Graciene Santos de Souza Regis - OK

    ResponderExcluir
  25. Leticia dos Passos da Luz Yamamoto -ok

    Eu não consegui segurar as lágrimas com a morte do pai da Mit, eu esperava q ele fosse se recuperar, juro e do nada isso aconteceu, quando dei por mim estava chorando dentro do ônibus. Fiquei mais emocionada ao ler seu relato... doenças em si, são horríveis, câncer então... estou triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Le, nem me fale! A vida prepara cada uma! =/
      Sinto muito por ter te feito chorar!

      Excluir
  26. Que momento delicado de nossa leitura coletiva :( Estou triste demaais.
    Mit soube aproveitar cada momento. E para você Má, minha admiração, pois você fez o que foi necessário!
    Karla Yumi Yamasita Dos Santos - Ok

    ResponderExcluir
  27. Karina F. Perin ok!
    Sem palavras é inimaginável a dor q vcs sentiram,que Deus conforte seus corações !

    ResponderExcluir
  28. Quando começo cada capítulo e acompanho o desenrolar da história, fico me perguntando quais daquelas situações aconteceram realmente com você.

    O Maurice chegou, com uma história e carga dramática próprios, mas não me perguntei se talvez ele seria apenas um personagem criado, eu tive certeza de que ele era real e que os detalhes do tempo deles era a sua forma de ter seu tempo com o "seu" Maurice.

    Todo o livro, até aqui, me passou muita verdade, muitos sentimentos, mas nesses capítulos com o Maurice, principalmente esses últimos... Era como se você gritasse que gostaria que tudo tivesse acontecido da forma como escreveu. Foi muito emocionante.

    Espero que seu coração esteja um pouco mais confortado e conformado com o desencarne do seu pai.

    E a Mitali... Ela foi muito incrível nesses momentos, tendo de lidar com a falta de informação, com suas próprias questões... Mas no fim, o que importa é sabermos que fizemos o possível. E ela fez. Vocês fizeram.

    Mais uma vez arrasada, porém grata pela leitura. Obrigada por se compartilhar conosco. 😘

    Arline M da Silva - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda história tem realmente muito de mim, Li! =)
      Fico tão feliz que esteja compreendendo tudo e tão envolvida!
      Você é tão querida!

      Excluir
    2. Cê não sabe o quanto eu já chorei com a história! Kkkkk

      Fico muito grata por ter esta oportunidade, de conhecer um pouco de você, da EM... Você está de parabéns, por tudo.

      Excluir
  29. Carolina Navarro Leite - ok

    Hoje foi difícil tentar conter as lágrimas no metrô... muito lindo o jeito como você pintou a relação da Mit e do pai. No fundo somos todos humanos e os erros vêm com a nossa natureza. ❤

    ResponderExcluir
  30. Daniela Suellen - ok

    Quando eu era pequena eu sempre achava que saber que alguém pode morrer logo era melhor que uma morte repentina, mas isso foi antes de perder pessoas que eu amava das duas formas. Porque doeu do mesmo jeito. Acho que mesmo sabendo que a pessoa pode "ir" a qualquer momento, não é por isso que você fica pronto para se despedir, né? A única diferença que senti foi que quando acontece do nada, demoramos mais para acreditar e para aceitar. E quando você sabe que pode acontecer a qualquer momento, é meio desesperador, porque toda vez que o celular toca, você acha que é alguém avisando, ou fica com medo de dormir e perder o tempo que te resta com a pessoa. No final a gente só sabe que perder alguém vai doer e que cada um vai superar de um jeito.

    E lendo sobre a perda da Mit (e sobre a sua também), só posso dizer que chorei (e não foi pouco) e doeu tanto pelo que ela passou quanto pelo que me fez lembrar, não da perda do meu pai, porque ele ainda está vivo, graças a Deus, mas pelos meus avós, que ajudaram a me criar (e um deles tinha câncer).

    E, Marina, te admiro pelo que você fez pelo seu pai, e até por você mesma, porque, pelo menos eu acho, que o que você fez deixou ambos mais "leves".

    P.S. Odeio câncer, parece que veio direto do Tártaro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe uma maneira fácil, né?

      Obrigada, gatona! Minha história não foi igual a da Mit, infelizmente, mas valeu pelo fim. 😢

      Você é uma linda!

      Excluir
  31. Estou atrasada na leitura, resfriado em filho bebê mexe demais com a vida da mãe. Acabei por pegar alguns spoiler porém sigo curtindo muito a leitura ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita! Como estão as coisas? Deveria ser proibido criança ficar doente, né?
      Melhoras! ❤

      Excluir
  32. Mariana Ferreira Silva-OK
    Esse capítulos acabaram comigo,apenas Sem palavras. Se sinta abraçada ♡

    ResponderExcluir
  33. Essa parte é arrasadora, não tem volta, não há nada que console. Dói demais perder alguém, no corpo e na alma.
    Susceptíveis a erros como somos, deveriamos vir programados automaticamente para perdoar, aos outros e a nós mesmos.
    Você ofereceu o seu melhor e seu pai teve o perdão que precisava.
    Rezo pelo dia em que o Câncer não ceife tantas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, lindeza!
      Nossa, eu também menina! Não vejo a hora de o câncer ser como a gente antigamente, sabe? 💔

      Excluir
  34. Elaine Pereira ok.

    Eu queria te abraçar nesse momento. Tipo o Dimi, sem falar nada. Apenas abraçar pois não há a coisa certa pra dizer, e o conforto de um abraço sempre faz bem. Essa descoberta do câncer e seu desenvolvimento rápido me trouxeram lembranças de uma pessoa muito importante pra mim e também não está mais por aqui.

    Eu sinto que coisas boas viram. Elas precisam vir. #DiMit precisam ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tudo que podemos fazer, né? Estar perto! Muito Obrigada, lindeza!
      Vamos torcer por dias melhores, nada dura pra sempre! 😊❤

      Excluir
  35. A cada comentário seu,mais conheço melhor a história do livro. Você é especial.

    Jenni Magalhães- ok

    ResponderExcluir
  36. Cilene Cristiane Mansini - ok
    Chorei no livro, chorei no post do blog de hoje...afeeee!!!
    Muito triste quando um doença leva uma pessoa que amamos dessa forma.
    Meu pai também se foi, não foi o melhor pai do mundo, mas com certeza fez o melhor que pode e sei que me amou muito. Entendi muito a parte que você diz sobre guardar o cheiro dele e não o cheiro do câncer. Meu pai teve cirrose hepática e o cheiro era de tristeza, mas o cheiro que lembro era da sua barba sempre bem feita e com cheirinho de loção.
    Posso falar??? Tô achando a Aurora chatinha kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Estaremos te dando apoio sempre...
    Kamila Aparecida - Ok

    ResponderExcluir