Dia 7



Trilha Sonora DRE - Faixa 6 - Queen - Who Wants To Live Forever




Oi, pessoal!

Hoje começou o desespero da Mit!

Essas cenas com a doença foram todas reais, escrever não foi fácil, mas pior foi ter que lembrar. A história e personagens são fictícios, mas os sintomas e acontecimentos foram reais comigo, trouxe a minha realidade para a história. Enquanto todos estavam com medo que eu morresse, eu só queria um nome para tudo que eu estava sentindo. Precisava que alguém me desse uma doença para eu culpar, uma causa que explicasse o que vinha acontecendo comigo. Era tudo tão assustador!

Sobre a ressonância, tive uma crítica sobre isso e gostaria de explicar para vocês. Eu nunca fui claustrofóbica, mas pensem em tudo que eu estava vivendo, a minha cabeça estava a mil e eu estava morrendo de medo de tudo. Quando me disseram, você vai passar quase duas horas naquele buraco apertado, sozinha com seus pensamentos, me deu um pânico que não sei explicar. Foi um dos piores momentos da minha vida. E acho que trauma é muito individual. Cada um reage de um jeito no desespero e para mim foi desse jeito que descrevi para a coitada da Mit. Hoje em dia faço ressonâncias de 6 em 6 meses, mas não precisei mais de anestesia geral, aprendi a controlar a respiração e NUNCA mais abrir os olhos lá dentro!hahah

Já passamos de 30% da leitura. O que acharam dos capítulos de hoje?

AMANHÃ 20/11/2018 LEREMOS OS CAPÍTULOS 12 E 13.

Até lá, gente!

Beijos,



Ps. Alguém ainda não adicionou DRE no skoob? Acesse o link: DRE no Skoob e me ajude a aumentar a rede de leitores do meu precioso! *-*

96 comentários:

  1. Aí a Mit piorou consideravelmente e rora que amiga e essa meu Deus amizade assim nunca vi na vida shipando essa amizade e o Dimi com esse senso de humor no hospital não aguento.o pai de Mit parece realmente que está sendo sincero quando deseja se aproximar dela mais enfim kit foi fazer o exame. Ansiedade a mil pausa pra um pequeno suspense e amanhã retomo a Leitura! Aí meu Deus esse li RO e o melhor.
    Maria Carolina dos Santos silva OK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahah amando suas reações, Ca! Espero que continue envolvida na história.

      Excluir
  2. Eu confesso que estou sem palavras!! Fiquei angustiada por ela na parte da ressonância e agora lendo que foi assim com você tbm eu imagino o que você sentiu!!
    Ressonância é algo que já é complicado ter q fazer, só de pensar em ficar tanto tempo em um tubo já me da agonia, pq não sou claustrofóbica, mas tenho um pouco de problema com lugares apertados!! E ainda tem o agravante que você descreveu de não saber oq está acontecendo, os pensamentos a mil procurando uma causa pra tudo aquilo!! Imagino que não deva ter sido nada fácil!!

    E deve ser bem complicado tbm para pessoas a nossa volta q se preocupam com a gente não saber tbm oq está acontecendo e como podem ajudar!! Confesso que por pouco não chorei na última cena da Mit vendo todo mundo olhando ela entrar no exame!!!

    Já ansiosa pelos próximos capítulos!! Parabéns pela escrita, tem sido uma ótima leitura

    Adrieli Fernanda Ribeiro - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma loucura, Dri. Fala Sério? Pra todo mundo, né?
      Fico tão feliz que esteja gostando. Estou amando acompanhar a leitura de vocês! ❤

      Excluir
  3. Menina que agonia que me deu aquela máquina, acho que ia fazer bem pior que a Mitali, a verdade na narrativa é o que mais me prende, me dá uma dorzinha no coracão de te imaginar passando por tudo isso.

    Luma Minikel de Oliveira - Ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que alegria ler isso, Lu!
      Eu costumo dizer que a medicina é tão avançada e não melhoraram esse exame. 😣😭

      Excluir
  4. 01:42
    Larissa Crusinski Santos - Ok

    Acho que essas cenas no hospital São as mais agoniantes de todo o livro, pq eu senti o desespero da Mit ao entrar na máquina, só de olhar aquilo já me arrepio, imagino você Má e a Mit, deve ter sido realmente muita pressão, não consigo nem imaginar passar por isso, ainda mais quando não se sabe o que você tem, e precisa passar tanto tempo sem se mexer em uma máquina daquelas... realmente entendo sua reação nesse momento !!!

    Apesar de estar tensa com o diagnóstico, e com todos esses sintomas da Mit, acho que vai ser um grande aprendizado para ela, não só sobre se cuidar e sobre a doença, mas creio que ela aprenderá muito sobre união, força e amor... pq com um suporte tão grande e pessoas tão incríveis ao lado, não tem como continuar durona...

    Tô amando ver como o Dimi é tão fofo, e a aparição do pai dela no hospital, da para perceber que ele realmente quer estar perto da filha e reconquistar o amor dela. Furacão Rora é demais né gente ?! Amo essa menina,apesar de estar do lado do Dimi na hora de sentir medo dela kk

    Esse livro toca tanto a gente, que é impossível não sentir todas as emoções da Mit, é impossível não se preocupar com ela e querer abraçar ela e dizer que mesmo que tudo pareça difícil, uma hora vai ficar tudo bem.

    Má, muito obrigada por dividir conosco um pouco dessa história maravilhosa, obrigada por ter como iniciativa a conscientização sobre a esclerose múltipla (admito que já ouvi falar sobre, mas nunca pesquisei mais afundo sobre) e muito obrigada por dividir esse seu momento com todos nós. Admiro sua força ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahha Rora dá medo mesmo!
      Só consigo agradecer por estar tão envolvida na história, Lari.
      Torcendo demais pra que continue gostando! 😍

      Excluir
  5. Senti a angustia da Mit com tudo q estava acontecendo, sua dificuldade, senti como fosse eu passando por tudo e eu já senti na oq as pessoas que amam ela estão sentido, a incerteza e dúvida são sentimentos q acabam consumindo quem está passando por tudo isso. Ai espero q passe logo o tempo que quero(preciso) ler mais e saber logo oq vai acontecer.
    Capítulos ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando paro pra pensar em tudo que aconteceu também fico angustiada, Nat. Ainda mais pelo desfecho que eu já conheço. Estou torcendo pra você continuar gostando! 😊😍

      Excluir
  6. Estou sem palavras pra descrever o que senti lendo esses dois capítulos. 😐
    Marina, não te conheço, mas queria muito te dar um super abraço agora, sinta-se abraçada. 😊😚
    Rivany Pereira Tenório - Ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já quero seu abraço! Hehe
      Gosto de pensar que passou! Aconteceu Sim, mas passou e isso faz muita diferença hoje.
      Ansiosa pra saber o que vai achar dos próximos capítulos.😁

      Excluir
  7. Camila Yukari Kobayashi - Ok
    Deve ser agonizante não saber o que está acontecendo. E minha nossa se algum dia ouvir a palavra ressonância ou qualquer outra palavra ligado à hospital, certamente entro em desespero. Sinto mais tranquila que a Mit tem companhia das pessoas que a ama nesse momento tão difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente só quer respostas, né? A dúvida chega a ser torturante.
      Amigos, família fazem toda diferença na vida mesmo! 😍

      Excluir
  8. Que amizade linda!!!
    Rora você é um anjo!
    Agora que vem a angustia, o medo, a descoberta, a amizade e o amor seroso suporte nessa longa caminhada, forca Mit!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos aguardar os próximos capítulos! Hehe Que bom que gosta delas.😍😍

      Excluir
  9. Uma semana de DRE é quantas emoções, enquanto lia esses 2 capítulos eu só sabia chorar e desejar força para a Mit.
    Fiquei feliz de ver o pai dela lá, e torço muito para que ele não a faça sofrer mais do que já fez.
    Esther Souza Maia-OK

    ResponderExcluir
  10. Tatiane de Araujo Silva OK
    Eu senti um grande desespero lendo, imagino vc vivenciando td e quanta a ressonância também imagino como deve ser angustiante acho que ia ser como a Mit preferir passar por uma ressonância apagada naquele momento. Mas o apoio que ela tem de quem a ama ajuda a superar tudo, e ter o pai ao seu lado novamente foi mt importante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é, menina? Pânico total!Haha
      Ai, que bom que está curtindo.😍

      Excluir
  11. Larissa Bianchi- Ok
    Já fiz uma ressonância e a experiencia não é das mais tranquilas, pelo menos para mim. Consegui entender muito bem a sensação da Mit. E é isso que as pessoas deveriam entender ou respeitar pelo menos, cada pessoa reage de uma forma de frente a mesma situação, somos indivíduos únicos, e toda a descrição da cena é mais que necessária para leitores cada vez mais se tornarem empáticos.

    ResponderExcluir
  12. Anna Karoline Garnier de Albuquerque - ok

    Foi mto difícil ler esses dois capítulos. Eu mal respirava de tanta agonia e desespero.
    E agora saber que com vc foi exatamente assim, meu Deus... Como vc é guerreira!

    Li tão rapido que nem senti o tempo passar!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que felicidade conseguir te passar essas emoções!😍😍 Sua linda!

      Excluir
  13. Ana Carolina de Moura - Ok

    Estou amando, ainda bem que consegui alcançar todo mundo.

    ResponderExcluir
  14. Ariana de S. M. dos Santos
    Capítulos 10 e 11: ok

    Oi Má! E está liberado chorar os dois capítulos inteiros, sem interrupção?!
    Menina, chorei hein, pensa em como chorei!

    Não entendo como pôde haver crítica sobre o episódio da ressonância, talvez não sejam muitos que consigam compreender...Mas o trabalho de conscientização conseguirá isso: fazer as pessoas compreenderem um pouco melhor que o desconhecido não é fácil de encarar como se fosse nada; que os sintomas repentinos e brutos não são qq gripe ou dor de cabeça; que entrar no carro andando e não conseguir sair dele, como entrou há poucos minutos, não é preguiça; que não saber o que está acontecendo quando manda seu cérebro fazer e ele...ele simplesmente te ignora...é assustador. Estou com vc na luta pela conscientização! Empatia não dói, as pessoas precisam saber!

    Bom, chorei muito...me vi no quarto com Mit, querendo dizer para ela que tudo ficará bem; que é difícil, mas vai ajudar a dar nome àquilo tudo...que tudo têm um nome só e que, embora assustador, ela e tudo o que ela ama é maior do que a EM....mas, no final, sou meio Rora mesmo e me vi dizendo "Se vc morrer, eu te mato"...

    Má, muito obrigada por mais um dia!
    Amo cada palavra de seu livro! É como se eu te conhecesse! Vc é muito especial, amei te encontrar e receber DRE como um presente para a causa da minha vida (EM e tudo o que se trata dela, por causa da minha Mit) e por toda a emoção que vc me permite cada dia!

    Grande bj! ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que preciosa, você Ari!
      Estou tão contente que a leitura esteja te tocando desta forma.
      Quem sabe a gente se veja um dia? Vou torcer por Isso! Hehe

      Ai, menina! Sem dúvidas empatia está em falta. Me assusta mais isso do que o fato de não ter gostado da história.haha Sei que não vou agradar geral, mas falta de empatia é ruim demais.

      Excluir
    2. Ah, adorei a ideia de um dia te ver ...e te dar um abraço de gratidão!

      Excluir
  15. Marina, imaginei exatamente isso, se você realmente passou por tudo isso detalhado no livro...fiquei ansiosa por isso. Outro item a ser observado eh a ressonância, nunca fiz e realmente conforme descrito imagino que deva ter um auto controle enorme, no seu lugar, também não teria. Que for...juro que em certas cenas doía meu coração!! Este livro faz com que eu me sinta lá dentro vivendo tudo isso!! Parabéns!!!

    Danielle Gomes Silva - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As sensações foram reais sim, Dani! 😕 Horrível até lembrar.
      Fico tão feliz que esteja gostando! Muito obrigada!😍😍

      Excluir
  16. Aaaaaaa Má, sinto muito por ter passado por isso, senti angústia ao ler esses capítulos e tô imaginando que os próximos também não serão tão facéis de lidar.
    O que conforta é saber que a Mit tem a Rora, o pai e o Dimi ali com ela, que é essêncial esse apoio nesse momento.

    Graciene Santos de Souza Regis - OK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só te ter conhecido vocês fez tudo valer a pena. De coração! 😊

      Excluir
  17. Letícia dos Passos da Luz Yamamoto - OK.
    Acho que não conseguiria fazer a ressonância também. Eu não suporto passar mais de 5 minutos em um elevador, imagina numa máquina dessas sem poder se mexer, credo!

    ResponderExcluir
  18. Esses capítulos foram desesperadores pra mim,fico pensando em quantas pessoas passam por situações assim, é impossível não se sentir tocado,isso ajuda muito mesmo a tentar entender e ter empatia.
    Aline Sacramento-ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só de pacientes de EM somos alguns!hehe Mas é um exame comum pra outras coisas também. Horrível!

      Excluir
  19. Tamires A. Alvino Meleti Silva - Ok

    Nossa estou muito revoltada que o atendente anterior não tenha marcado a consulta da Mit, gente e isso acontece muito no nosso dia a dia né? É revoltante esse descaso com as pessoas :(
    Estou muito preocupada e triste com a situação da Mit :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vontade de jogar uma bomba, né? Vai saber o que acontece nesses lugares para serem tão frios e inconsequentes. Fico imaginando se fossem parentes deles. 😣

      Excluir
  20. Imagino o que medo que a Mit passou, já acompanhei minha mãe num exame desse e e agoniante ficar esperando por 2 horas. Ainda bem que ela e rodeada de gente que a ama, mesmo ficando mais desesperada que ela.
    Acredito que a pior sensação dela é não saber a causa das dormências nas pernas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha eu ri muito das pessoas em volta serem mais desesperadas. Mas é verdade!

      Excluir
  21. A Mit passou por momentos tão difíceis, e é tão aterrorizante não saber a causa disso tudo, chorei junto com ela por tentar imaginar e lembrar que isso acontece na vida real, e aconteceu...

    Que enfermeira ridícula, mal fala com o paciente, nem explicou o exame direito, só podia vir a acontecer isso mesmo.
    Fiz uma ressonância recentemente e agradeci muito por não precisar entrar com a cabeça na máquina, mesmo assim fiquei com muito medo, a máquina já assusta no tamanho, todos os cuidados antes de entrar na sala e não poder entrar com objetos metálicos, tudo me parecia um bicho de sete cabeças, (ou que a máquina ia me sugar e não iria conseguir sair, ou que poderia passar mal com o contraste ou ter alergia, tudo de ruim eu pensei). Graças a Deus a médica que fez todo o procedimento foi maravilhosa, explicou cada passo que deu, o que seria feito, cada "acessório" que foi colocando em mim, os medicamentos que precisaria usar, como o barulho seria muito alto e que por isso usaria os protetores de ouvido, entre muitas outras explicações, não tenho o que reclamar. E mesmo assim, tive muito medo, minha garganta secou de uma forma no início do exame, e o barulho mesmo com os protetores era bem alto. Fechei os olhos e tentei abrir o mínimo possível, o exame durou quase uma hora, mas a médica era tão legal e falava comigo às vezes e deu tudo certo.

    Voltando ao livro, agora vejo o quanto foi importante o pai da Mit voltar e estar ali, tudo é uma força a mais pra ela nesse momento, não saber o que você tem e continuar sentindo as coisas piorarem é um verdadeiro pesadelo.

    Parabéns por os capítulos até aqui Marina, seu livro e história servirão de lição e conhecimento pra muita gente.
    Eu vi uma crítica no skoob que falava dessa cena, acho que as pessoas deveriam focar mais no conhecimento que estão ganhando, e nos acontecimentos que levaram a isso, do que dizer que exagerou demais na cena. E não achei exagero nenhum, a ressonância é terrivelmente assustadora sim, principalmente no momento em que a Mit está e com a "incrível" enfermeira que teve.

    Não vou mentir, me irritei com a pessoa. Kkk mas ok. Cada um com sua opinião.

    Lanna Kelly Andrade Alves - ok.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah exatamente! A sensação é de que a máquina ia me sugar.kkkk que bom que encontrou uma equipe tão bem preparada para o exame. Você precisou por qual motivo? Está bem agora?

      Haha precisamos respeitar as opiniões, né?

      Obrigada pelo carinho de sempre, sua linda!😍❤

      Excluir
    2. Precisei por causa da suspeita de Endometriose. E é realmente endometriose, está no início e vou começar o tratamento com os comprimidos, enquanto não consigo a injeção, o médico não achou que deveria fazer cirurgia, pelo menos não agora. Estou bem, obrigada por perguntar. 😘❤

      Excluir
  22. Leitura finalizada, não resisti!
    Mas sigo acompanhando suas postagens, Má!!

    Livro maravilhoso, sem palavras para descrevê-lo.

    Gabriela Bernardes Rorato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha eu fico toda feliz quando alguém não aguenta. É uma emoção sem tamanho.

      Muito obrigada por ter dedicado um tempo pra leitura dele. Me fez muito feliz!❤

      Excluir
  23. Pois eu sou claustrofobia e quase morri na parte da ressonância. Fui fazer uma vez e surtei,apertei aquela campainha como se não ouvesse amanhã e a enfermeira ainda ficou conversando e não me tirava de lá. Só de lembrar tenho falta de ar e foi o que senti lendo o livro. Quando foi falando da anestesista a primeira coisa que pensei foi e se eu acordar? Kkkkk igual a Mit. Mas não sei se teria coragem mesmo com anestesia, pois já acordei no meio de uma cirurgia. Agora tem umas máquinas que são abertas, não sei se serve pra qualquer tipo de ressonância. Acho que na fechada só morta pra eu fazer kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHA Morri com a parte da campainha.kkkkkk
      Ai aí! Ri demais agora. Se eu tivesse escolha, acho que seria como você.

      Eu faço nessas abertas, mas adianto que não faz diferença nenhuma. Não sei se pelo pânico que já faz parte de mim. Esse exame nunca vai ser bom, não adianta! Kkkkk

      Excluir
    2. Não sei o que seria de mim se eu não tivesse escolha e só pudesse ser na fechada...melhor eu nem pensar para não sofrer rs.
      Mas na aberta, se bobear até durmo :)

      Excluir
  24. Carolina Navarro Leite - ok

    Esses capítulos foram intensos!! Acho que fiquei mais tensa porque te vi naquelas páginas. Você já havia me contado sobre o quanto você não gosta de fazer ressonância, mas eu não sabia dessa primeira vez. Agora lendo, eu conseguia visualizar você ali e o meu desespero ficou real. Você é uma inspiração pra mim, Ma! Fico muito feliz em poder fazer parte dessa história. Obrigada por compartilhar! s2

    ResponderExcluir
  25. Ok. Elaine Pereira.

    Primeiramente, deixa eu dizer que sou chorona e que costumo ler no ônibus. Imagina só o que houve hoje enquanto eu lia a saga de Mit no hospital... Chorei de desespero por ela sim! Fiquei tão angustiada. E mais uma vez eu fiquei mega agradecida pelo Dimi estar com ela e agora estou mais aliviada com a presença do pai dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me sentindo uma bruxa por ficar feliz pelo seu sofrimento. Haha Mas alcançar isso em uma leitura é especial demais. Consegue me perdoar? Haha

      Excluir
  26. Karina F. Perin - ok!
    MA querida eu entendo seu desespero,eu também já fiz ressonância e é horrível,assustador o barulho,não poder se mexer,a hora que prendem a cabeça da gente e dizem que se se mover tem que fazer tudo de novo da um desespero,a gente treme inteira e o coração vai a mil em segundos ainda mais quem claustrofóbico...só quem já fez entende!
    Esses últimos capítulos deixando emoção a flor da pele,não tem como não sofrer junto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é, Ka? Pânico total, gente!
      Que bom que está tão envolvida!😍😍 Fico toda boba daqui!

      Excluir
  27. Mit está me conquistando a cada capítulo! Estou atrasada na leitura porque quase não li no feriado, mas vou conseguir acompanhar essa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não esquenta a cabeça, gatona!
      Estou feliz por tirar um tempo pra ler ele.😍😍😙

      Excluir
  28. Cássia Letícia - ok!
    Me deu muita aflição ver a Mit lá dentro. Acho que nem consigo explicar o quão horrível é fazer ressonância. Fiquei de 30 a 40min dentro daquele troço, porque estava com uma suspeita de tumor no cérebro. Foi uma merda, mas fui sem anestesia, só que saí de lá muito tonta. Senti na pele o que a Mit está sentindo agora, e o que você viveu.

    A cada capítulo que passa, me envolvo mais e mais na história, e com os personagens. Na vida, eu tenho o meu Dimi, e a minha Rora, e acho que isso faz com que a história fique ainda mais especial a cada página. Até agora, 5�� ����

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Horrível, né?
      Fiquei aliviada de saber que você está bem e foi só uma suspeita. Imagino o tamanho da sua angústia.

      Tão feliz por ter pessoas queridas na sua vida! Faz toda diferença, né?😍

      Excluir
  29. Isabela Alvarenga Mello- ok
    Eu só consigo admirar você ainda mais, ler já foi emocionante, agora ler e ver você comentando conosco cada capítulo, é surreal. Desejo todo o sucesso do mundo para você ❤️

    ResponderExcluir
  30. Daniane Almeida -OK-
    A primeira vez que fiz ressonância sai chorando e com mais dor de cabeça do que quando entrei, e pra mim é o pior exame que existe. Não foi exagero não Má, e sinto muito por vc ter passado por isso, pq sei como é horrível um diagnóstico ruim. Agora não to só ansiosa como curiosa kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah Então, você me entende!kkkk

      Você teve algum diagnóstico também, gatona?

      Excluir
    2. Eu tive um tumor a 7 anos atrás, não foi câncer, graças a Deus,mas não deixou de dar trabalho por isso. Até hoje faço acompanhamentos e todo ano surge um novo problema por causa disso, agora apareceu um tal de Virchow-Robin na "bendita da ressonância" e to meio perdida ainda... Tirando a cabeça tb tenho cálculos renais e já fiz 3 cirurgias... A vida não é fácil pra ninguém, cada um enfrenta uma batalha diferente. Mas eu sempre digo vamos sorrir pq chorar entope o nariz rs.

      Excluir
  31. eu estava doida pra te perguntar se tinha sido assim com vc...Eu te entendo que era muita coisa pra vc processar, assim como Mit, e cada pessoa age de um jeito. É muito intenso os sintomas dessa doença, vc é uma guerreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ma! Foi igualzinho! 😣
      🙈🙈 Obrigada, sua linda! Só de ter virado essa história que vocês estão curtindo já fez tudo valer a pena! ❤

      Excluir
  32. O que mais gostei nesses capítulos foi a atitude do pai da Mit e como eles estão indo bem <3 Hahaha a Rora parece eu quando fico emburrada XD
    Karla Yumi Yamasita Dos Santos - Ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pai dela é especial, né?
      Rora é uma doidinha! Hahaha

      Excluir
  33. Anna Beatriz Benjamim Viana-ok
    Uma das coisas que mais estou gostando nessa parte do livro é que eu consigo sentir o que a Mit está passando, estou sendo transportada para dentro da história e é como se eu fosse um personagem ali no meio participando de tudo. Faz tempo que um livro não mexe comigo (sou considerada como insensível por parte das minhas amigas quando leio livros).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca! Que honra, Bea! Espero que continue gostando!🙈❤

      Excluir
  34. Estou no chão com esses capítulos. O Dimi maravilhoso. O pai me surpreendendo com todo esse carinho e a Rora, gente com uma amizade dessas tudo fica mais fácil de enfrentar.
    Passei essa semana internada, fazendo exames para descobrir o que havia com o meu braço e ler esses capítulos, consegui sentir toda a angustia que a Mit passou.
    Mariana Sarkis ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Mari! Mas você está bem? O que houve com o seu braço?

      Excluir
  35. Tô sem palavras, de verdade. Achei que o capítulo anterior tinha sido um soco no estômago, mas esse me deu um soco e uma rasteira.

    Não sei o que escrever sobre os capítulos, só consigo pensar que tudo vai ficar bem, tudo vai dar certo. Senti como se tudo tivesse acontecido comigo, inclusive a claustrofobia momentânea.

    Por mais pessoas que dão apoio às outras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só consigo ficar feliz por estar tão envolvida com a história!😍😍

      Excluir
  36. Daniela Suellen - ok

    Acho que é essa foi uma das partes que mais deu para "sentir" como é ter realmente Esclerose, sabe? Porque como aconteceu com você, parece "real" no livro também. Não é qualquer um que cria um personagem com alguma doença e passa bem o que ele pensa e sente. E você conseguiu ♡.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez por ter vivido tudo tenha sido natural, né? Já que passei a minha experiência para o papel.

      Excluir
  37. Leila Viana Queiroz ok
    Chorei, chorei, chorei...o desconhecido é tão assustador, né? Quando a gente não sabe o que nos espera...
    Bj

    ResponderExcluir
  38. Déborah Tesser Janotti19 de novembro de 2018 23:34

    Déborah Tesser Janotti - ok.

    Sofri tanto por Mit nesses capítulos e sofri por ti também, Marina, mas por meio deles hoje te admiro ainda mais. Quanta força, quanta coragem, quanto heroísmo para desbravar essa doença, os sintomas, sobreviver as dores e crises e ainda assim ser essa pessoa incrível, super batalhadora e de bem com a vida. Também tive que ficar horas fazendo uma ressonância para descobrirem uma "apendicite", foi beeeeeem ruim. Detesto aquela máquina e também fico de olho fechado, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onw! Obrigada, sua linda!🙈❤
      Mas você está bem agora?

      Excluir
  39. É terrível pensar que você passou por tudo isso.
    Toda a sua narrativa é muito real: consultas e exames não sao marcados por falhas (humanas ou no sistema), pessoas com treinamento falho e que não conseguem passar informações. O episódio da ressonância acontece, eu fiz ressonância e apesar do laboratório top e da máquina ter um "túnel" maior, só pensava em ir embora, não tenho claustrofobia.
    Mas, também existem aqueles que oferecem o seu melhor.
    Empatia é a palavra, mesmo que vc não tenha passado pelo mesmo, não tenha sentido o mesmo, pode tentar se colocar no lugar do outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá um pânico lá dentro, né? Horrível demais. Poderia pelo menos existir uma escola de empatia pra quem não consegue ter naturalmente. Haha

      Excluir
  40. Camila dos Santos Santana - ok
    Minha primeira reação foi julgar Mit , logo depois eu consegui entender ela. Deve ser muito difícil!
    A cada dia eu sigo e amo ainda mais esse livro! ♡

    ResponderExcluir
  41. Tive uma relação muito forte com esses capítulos.
    1. Por ficar agoniada com o quão rápido é suas pernas parar de te obedecer
    2. Essa da atendente quis matar! Pior que não é tão difícil de acontecer.
    3. Já fiquei internada sem saber o que era e é desesperador, você fica sem saber o que tem e tudo passa na sua cabeça. No seu caso você estava desesperada por não conseguir andar, quando foi comigo eu sentia muitas dores de cabecacabeça e ficava dopada, me deram dramin até descobrirem.
    Eu não julgo seu ataque de pânico, não sei como eu estaria nessa situação, como reagiria. Mas foram bem intensos para mim!

    By Isadora Gazote - ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei preocupada. Você está bem hoje, Isa? Essa fase passou?

      Excluir
  42. Jenni Magalhães- Ok
    Eu lendo o seu relato só sinto vontade de te abraçar. É muito triste. E eu estou sofrendo junto com a mit

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero abraço!😍😊
      Posso estar feliz pelo seu sofrimento?hehe

      Excluir